Instalando PHP 7.1 no Raspbian Stretch

Os repositórios padrão do Raspbian não vem com o PHP 7.1. Para que nós possamos ter acesso a essa versão do PHP precisamos alterar o arquivo sources.list para o repositório que ainda está em “testing”. Para isso primeiramente vamos abrir o arquivo /etc/apt/sources.list e adicionar a seguinte linha:

deb http://raspbian.raspberrypi.org/raspbian/ buster main contrib non-free rpi

Salve e feche o arquivo.

Depois de editado o arquivo agora devemos atualizar o sistema. Para isso usaremos os seguintes comandos:

$ sudo apt-get update && sudo apt-get upgrade

Se tudo ocorrer bem, o próximo passo será remover a versão antiga do PHP, com os seguintes comandos:

$ sudo apt-get remove '^php.*'

Com versões antigas removidas chegou a hora de instalar a versão 7.1 do PHP e junto alguns módulos. Utilizando os seguintes comandos:

$ sudo apt-get install php7.1 php7.1-cli php7.1-curl php7.1-json php7.1-opcache php7.1-common php7.1-readline

Pronto! Agora temos o PHP 7.1 instalado no nosso Raspbian.

Utilizando o Docker para seu projetos Laravel com Laradock


O laradock é um ambiente de desenvolvimento PHP completo para o docker, contendo algumas imagem docker pré-configuradas. Inicialmente o projeto foi focado em rodar os projetos Laravel no docker, mas veio evoluindo e agora começou a suportar outros projetos PHP como Symfony, CodeIgniter, WordPress, Drupal e outros.

Neste post vamos deixar-lo pronto para utilizar um projeto docker. Primeiramente para que possamos dar seguimento precisamos ter o docker e Git instalado e funcionando na máquina.

O primeiro passo agora é baixar o repositório do laradock no github com o seguinte comando:

$ git clone https://github.com/Laradock/laradock.git laradock

Esse comando baixará o conteúdo para uma pasta chamada laradock. O próximo passo é criar um arquivo .env espelhado pelo env-exemple (Copiando o env-exemple e colando com o nome de .env).

Realizado o passo anterior vamos subir o serviço com o seguinte comando:

$ docker-compose up -d nginx

Quando subimos o nginx automaticamente o PHP sobe pois o servidor web necessita dele.

Pronto o serviço está funcionando e agora podemos testar acessando:

http://localhost

ou no caso de quem estiver usando docker no  OSx acessando:

http://192.168.99.100

Antes de prosseguirmos é importante vermos um pouco sobre algumas configurações no arquivo .env. Algumas mais importantes são:

NGINX_HOST_HTTP_PORT=Porta que vai rodar
NGINX_HOST_HTTPS_PORT=Porta SSL

Existem outras configurações e possibilidades, mas não serão abordadas neste post. Agora vamos rodar uma arquivo teste de php para vermos se vai rodar e qual procedimento devemos tomar para funcionar.

O que vamos fazer primeiramente é criar uma pasta no mesmo nível que a pasta laradock, como mostra a imagem abaixo.

 

 

 

 

Agora que criamos as pasta vamos criar um arquivo chamado index.php dentro da pasta app/ com o seguinte conteúdo:

<!--?php
 
echo 'Teste laradock';
</pre-->

 

Depois de salvo o arquivo vamos abrir o arquivo default.conf que fica dentro da pasta laradock/nginx/sites/. Altere a linha  root /var/www/app;

Salve o arquivo e volte para a pasta laradock/ e digite os seguintes comando:

$ docker-compose down
 
$ docker-compose up

Pronto podemos testar acessando  http://localhost ou http://192.168.99.100 e verificando que funcionou corretamente.

Agora temos o laradock funcionando corretamente, e o próximo passo é criar/instalar um projeto Laravel.

Primeiramente vamos entrar no diretório do laradock com os seguintes comandos:

$ cd laradock/

Depois vamos subir o container workspace digitando o seguinte comando:

$ docker-compose exec workspace bash

Você notará que o terminal irá mudar, você entrará dentro do container. Algo parecido com o texto logo abaixo:

root@f74b81f6ed26:/var/www#

Se nos rodarmos o comando ls veremos que estamos um diretório anterior do laradock/ dentro desse container, ou seja, instalaremos o projeto Laravel no mesmo nível que o laradock.

Bem para instalarmos um projeto Laravel vamos rodar o seguinte comando:

# composer create-project --prefer-dist laravel/laravel teste-app-laravel

Pronto, depois que o composer baixa e instala temos uma pasta chamada teste-app-laravel/ no mesmo nível que o laradock.

Vamos sair do container utilizando Ctrl + q + p simultaneamente e partir para a criação do virtual host para acessa-lo. Crie um novo arquivo chamado teste-app-laravel.conf no seguinte diretório:

server {
 
    listen 80;
    listen [::]:80;
 
    server_name teste-app-laravel.local;
    root /var/www/teste-app-laravel/public;
    index index.php;
 
    location / {
         try_files $uri $uri/ /index.php$is_args$args;
    }
 
    location ~ \.php$ {
        try_files $uri /index.php =404;
        fastcgi_pass php-upstream;
        fastcgi_index index.php;
        fastcgi_buffers 16 16k;
        fastcgi_buffer_size 32k;
        fastcgi_param SCRIPT_FILENAME $document_root$fastcgi_script_name;
        include fastcgi_params;
    }
}

Nessas linhas o que devemos atentar é nas linhas server_name e root, onde o primeiro é o nome do virtual host e o segundo é o caminho de onde está a aplicação Laravel. 

Com o terminal dentro da pasta laradock/ rode o seguinte comando:

$ docker-compose restart

Bem, e por último, vamos adicionar no virtualhost de nosso OS a configuração para que possamos acessar a aplicação através da url: teste-app-laravel.local em um navegador localmente. Para que funcione vamos abrir o arquivo de virtualhost /etc/hosts e adicionar a seguinte linha:

127.0.0.1 teste-app-laravel.local

Salve e feche o arquivo e pronto, feito isso temos nosso projeto Laravel funcionando corretamente.

Instalar PHPStorm no linux manualmente

O PHPStorm é uma IDE comercial, multi plataforma, para PHP construído na plataforma JetBrains’ IntelliJ IDEA. Neste post vamos instalar o mesmo manualmente em nossa distribuição Linux.

Primeiro passo, vamos remover qualquer vestígio do PHPStorm de nossa maquina, com os seguintes comandos:

 

$ sudo rm -Rf /opt/phpstorm*
$ sudo rm -Rf /usr/bin/phpstorm
$ sudo rm -Rf /usr/share/applications/phpstorm.desktop

Pronto agora podemos baixar-lo e instala-lo com os seguintes comandos:

$ wget https://download.jetbrains.com/webide/PhpStorm-2017.3.tar.gz \ 
-O phpstorm.tar.gz

Descompactando em pasta /opt/:

$ sudo tar vzxf phpstorm.tar.gz

Alterando o nome da pasta:

$ sudo mv /opt/PHPStorm*/  /opt/phpstorm

Criando Link simbólico para pasta /usr/bin:

$ sudo ln -sf /opt/phpstorm/bin/phpstorm.sh /usr/bin/phpstorm

Criar lançador para o programa:

$ echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=phpstorm\n \ 
Exec=/opt/phpstorm/bin/phpstorm.sh\n Icon=/opt/phpstorm/bin/phpstorm.png\n \
 Type=Application\n Categories=Application' \ 
| sudo tee /usr/share/applications/phpstorm.desktop

Concedendo permissão para executar o lançador:

$ sudo chmod +x /usr/share/applications/phpstorm.desktop

Pronto agora você já pode utilizar o programa (caso tenha a licença).

Git clone com todos os branchs

gitlogo

Em alguns casos  é necessário realizar o clone de um repositório com todas as branchs que ele tem. Por padrão, quando é realizado um git clone de um repositório remoto para sua maquina local é criado somente o branch master.

Para puxarmos o outros branchs temos que realizar alguns comandos. Primeiramente vamos verificar quais branchs remotos existem, com o seguinte comando:

$ git branch -a
* master
remotes/origin/master
remotes/origin/dev

podemos perceber que temos um branch remoto chamado dev. Agora vamos baixar o branch dev para o repositório local, com o seguinte comando:

$ git checkout -b dev origin/dev

Pronto! Agora temos mais um branch em nosso repositório local.

Ambiente de Desenvolvimento PHP com o Docker Compose

Docker

Docker Compose é uma ferramenta para execução de aplicativos docker multi-containers o que nos ajuda muito a iniciar um ambiente inteiro com um comando somente.

Neste post vamos utilizar o Docker Compose para configurar um ambiente de desenvolvimento básico, com o PHP, Apache e MySQL.Vamos utilizar dois containers Docker, um para o PHP e Apache e outro para o banco de dados MySQL. Vamos utilizar imagens oficias do Docker Hub.

Primeiramente vamos criar o container para o servidor WEB. Para isso dentro de uma pasta vamos criar um arquivo chamado Dockerfile contendo as seguintes linhas:


Nos utilizamos uma imagem do repositório oficial, este vem com o PHP 5.6 e o apache. Além disso utilizamos um comando para executar (RUN) a instalação da extensão mysqli. Por hora vamos instalar somente esta extensão, caso queira instalar mais extensões de uma olhada na documentação da imagem que foi utilizada.

O próximo passo é criar um arquivo chamado docker-compose.yml onde teremos as configurações de nossos dois containers. Vamos inserir as seguintes linhas nele:

O próximo passo agora é criar a pasta www/ e um arquivo com o nome index.php dentro da pasta www/ com o seguinte código:

Agora vamos colocar para rodar com o comando docker-compose up. Com este comando será mostrado em um modo verbose, ou seja, cuspindo todas as informações no terminal. Caso queira rodar em segundo plano bastar utilizar o seguinte comando: docker-compose up -d

Este post é o basico do que se pode fazer com o docker, mais com esse básico já podemos ter nosso ambiente de desenvolvimento rodando rapidamente e totalmente independente de nossa maquina.

Rodando MySQL no Docker

Docker

Para facilitar muito a nossa vida de desenvolvedor temos o Docker com seus containers que até parecem mágicos. Neste post vou mostrar como subir um servidor MySQL rapidamente para testes ou uso em um desenvolvimento de uma aplicação.

O primeiro passo é executar o comando setando alguns parâmetros, como o nome da imagem, variáveis ambientes do MySQL, o apontamento da porta externa e interna e por ultimo o nome da imagem no repositório oficial do Docker.

$ docker run --name byteslivres-mysql-1 -e MYSQL_ROOT_PASSWORD=12345 
-e MYSQL_DATABASE=teste -d -p 13306:3306 mysql:5.7.10

Pronto. Depois deste comando o MySQL estará rodando em sua maquina. Para testar abra seu gerenciador de banco de dados e tente conectar com a seguintes configurações:

Host: localhost
Porta: 13306
Usuário: root
Senha: 12345

Tudo dando certo ira aparecer no seu gerenciador o banco de dados teste vazio. Bem agora para pararmos o servidor basta utilizar o seguinte comando:

$ docker stop  byteslivres-mysql-1

Pronto. Caso queira subir novamente o mesmo banco não é necessário utilizar o primeiro comando mostrado. Basta utilizar este comando:

$ docker start  byteslivres-mysql-1

Fazendo deploy com Deployer

deployer

 

Deployer é um pacote em PHP que tem como características realizar o deploy de aplicações e como principal vantagem a economia de tempo, melhor desempenho e desenvolvimento.

Neste post vamos desde do primeiro passo a instalação ate a execução do deploy em um servidor, tudo em um ambiente linux, no meu caso a distribuição Debian. Primeiramente precisamos baixar o arquivo .phar disponível no site do projeto.

Download do deployer.phar

Depois de realizado o download vamos move-lo e para a pasta /usr/local/bin e conceder permissão de execução com o seguinte comando:

$ mv deployer.phar /usr/local/bin/dep
$ chmod +x /usr/local/bin/dep

Depois deste passo teste o comando dep no terminal e veja se aparece mais ou menos como a tela abaixo.

Comando dep

O próximo passo é a criação do arquivo deploy.php onde setaremos algumas configurações para que possamos executar nosso delpoy da melhor maneira. No nosso casso vamos realizar o acesso via identityFile a um servidor e passar os arquivos de uma branch especifica de um repositório git.

<?php require 'recipe/symfony.php'; 
server('prod', '10.10.10.213')->user('byteslv')
->identityFile('/home/btllv/.ssh/id_rsa.pub', '/home/btllv/.ssh/id_rsa')
->env('deploy_path', '/var/www/html')
->stage('production');
 
set('repository', 'git@github.com:usuario/tests.git');
env('branch', 'master');
 
task('deploy:vendors', function () {
});
 
task('deploy:assetic:dump', function () {
});
 
task('deploy:cache:warmup', function () {
});

Pronto agora podemos executar nosso comando pra realizar o deploy na nossa maquina de production. Para rodar basta utilizar o seguinte comando:

$ dep deploy production

O processo começara, e tudo dando certo aparecerá  uma tela mais ou menos como esta abaixo.

dep

Processo realizado com sucesso!

É possível ir bem alem do que mostrei aqui. Entre no site do projeto e veja sua documentação e veja como o que mais pode se fazer com o Deployer.

http://deployer.org/